mamãe acordô

video

Eu nem me lembro mais se já comentei isso aqui, e não vou sair a caça procurando nos posts antigos – sem tempo fofa; enfim, o tempo que meu filhote demorou para começar a andar, ele adiantou em começar a falar. Antes de completar 1 aninho ele já falava pelos cotevelos – sem exageiros – imagine agora já com 2 aninhos completos...é uma loucura! A questão é que antes ele só soltava a língua em casa com o papi e a mami que aqui vos fala, perto de estranhos dificilmente abria a boca...o que era até constrangedor pra mim, que contava a todos a desenvoltura do meu bb mas não conseguia provar ao vivo e a cores! Mas isso é algo que já pertence ao passado, porque hoje ele já cumprimenta até o poste da rua! Às 6 horas abro a porta do quarto, escuto um “mamãe acordô!” e tenho uns 4 segundos para conseguir dar um “bom dia” e ouvir o som da minha voz e então: pronto, acabou meu tempo de falar! É incrível! E é algo mais ou menos assim: “Mamãe acordô. Eeeei mamãe. Mamãe acordô. Mamãe vão pá tala. Vão pá sala mamãe. Pá tala bincá. Tutu que bincá na tala. Mamãe tutu fez sisi. Mamãe toca falda não. Toca não. Tutu que i pá tala. Pá tala bincá. Txutxucão. Mamãe põe panda mamãe. Põe panda. Tutu qué vê panda. Panda na tala. Mamãe põe txtutxucão. Cadê a tuta? Tuta mamãe. Cadê? Mamãaaaae pega o pet mamãe, pega o pet. Mamãe pega o pet não. Tutu pega. Tutu pega o pet. Pet é do Vitu. É meeeeu. Pet é meeeeu. Tenta mamãe. Tenta. Liga mamãe. Liga. Mamãe. Saudade da mamãe. Mamãe, qué água. Qué água. Cozinha mamãe. Vão pá cozinha mamãe. Abi. Abi. Pegá água. Mamãe, qué suco uda. Suco uda mamãe. Copo gande. Qué copo gande. Piquininha não. Qué copo gande. Qué morango mamãe. Qué morango. Qué oto. Qué mais Oto. Qué quato. Qué tinco. Qué seis. Pote gande. Vão pá tala mamãe. Mamãe cadê pocotó. Cadê pôco. Cadê oto pôco. Tenta mamãe. Mamãe acordô. Papai tá mimindo. Corda papai não. Pode não. Papai tá mimindo. Mamãe acordô...” E por aí vai e vai e vai e vai e a mami aqui também vai muda, porém boquiaberta com o fôlego do meu filhote! bbjs

Dicionário do fofo, que volta e meia troca o S pelo T e o V pelo D

Tala = sala

Panda = filme do panda-fu

Tenta = senta

Tuta = Xuxa

Pet = dinossauro que tem um topete

Uda = uva

Pôco = porco

é fogo!

Ontem, uma amiga de profissão me enviou um pedido de desculpas pela demora em responder meu email devido a “uma série de coisas que aconteceram aqui em casa” – escreveu, justificando o esquecimento do meu email. Sorri na hora. Se ela tivesse usado como desculpa algum mal estar ou outro tipo de problema, me soaria como algo meio vago ou falso, mas “uma série de coisas que aconteceram aqui em casa” pra mim foi algo completamente claro e compreensível! “Entendo perfeitamente!” – respondi. E realmente entendo meeeesmo, porque aqui em casa também vive acontecendo uma série de coisas que me impedem de fazer isso ou aquilo... A minha mais recente “uma série de coisas que aconteceram aqui em casa” foi a demissão de uma funcionária. Eu sempre achei que arrancar o ciso fosse algo extremamente primitivo – se você já arrancou algum, sabe do que estou falando. Nunca precisou, fofa? Então nem continue a leitura, você não entenderá bulufas do que vou contar! Voltando ao que importa: engano meu, extrair o ciso é uma atitude civilizada, tranquila e tenra se comparada ao que é extrair alguém que convive com você diariamente do seu lar. Primeiro que você nunca imagina que algum dia este momento chegará e quando chega você nunca imagina que será como foi – no meu caso da forma mais primitiva que se possa imaginar! Continua lendo fofa? Eu explico. Quero dizer que se eu morasse numa caverna e se fosse casada com o homem de Neanderthal a demissão teria sido a base de porretadas com paus e pedras de um lado e do outro. Tô zonza até agora! Tô exagerando? Claro que estou! Mas nem tanto quanto eu gostaria. E o que isso tem a ver com o Diário da Mami? Tudo. Depois de ter tido essa experiência penso no tamanho da nossa responsabilidade, de nós mamães, ao colocar alguém dentro de casa quando temos um filho tão pequeno sob os nossos cuidados. Eu colocava minha mão no fogo por essa pessoa e acabei toda queimada. Não posso nem imaginar o que seria, se alguma fagulha tivesse caído sobre meu tutuzinho. Não me perdoaria nunca. Ainda acredito na bondade das pessoas, mas é preciso estar alerta (sempre) porque é praticamente inevitável nós enxergarmos as coisas como nós gostaríamos que elas fossem e não, como elas realmente são. E isso não foi uma dica, isso é um fato. A dica vem agora, fofa: nunca se esqueça dos recibos, tá?

vamos a la Playa ohhhh ohhhh ohhhh – parte 2

Quem diz que sábado e domingo são dias de descanso, das duas uma: ou é um boçal que definitivamente não sabe o significado da palavra descansar ou é um ET a fim de zoar com nós mamães terráqueas! Se você é mamãe sabe o quanto é impossível descansar num dia de céu ensolarado! Você pode curtir, aproveitar, se divertir mas descansar, jamé! Não estou reclamando fofa, assim como você, eu também adoro um programa família! Adoro sol, adoro praia, a questão é o trabalho que dá chegar até lá quando se tem um bb! Então entre um refrão do Patati e outro do Patatá eu já começo a escanear na mente tudo o que precisarei levar. E é tanta coisa que aposto que num dia desses qualquer esquecerei de colocar o biquíni! Sim, porque uma vez já esqueci a sunga do meu magnânimo cônjuge e o tempo simplesmente fechou! Como assim esqueceu? Você me pergunta fofa? Se case com um surfista e então você entenderá o prazer que essa espécie tem em trocar a sunga in loco! Após toda a lista de itens estar devidamente computada e registrada, inicio a busca pelo kit praia. Ah fofa, acredito piamente que você pode sobreviver a dez filhos sem nunca ter tido um kit berço mas duvido que você sobreviva a um verão sem um kit praia. É tão essencial quanto o sol! O meu kit praia consiste basicamente numa bolsa tão grande que eu poderia entrar nela e ficar perdida por lá durante semanas sem ninguém me encontrar (hum...) enfim, na bolsa cabe absolutamente tudo o que o meu tutuzinho precisa. Eu bem que estava disposta a listar o “tudo” aqui... mas fofa, canso só em pensar. Alguns itens já moram no kit praia, como os brinquedinhos mais apropriados para areia, filtro solar, boné, chinelinho,... e quando chego da praia já limpo e reponho tudo; numa ação praticamente robótica! Parece até que nasci pra isso, de tão rápida que sou. Mas ainda assim a tralharada parece não ter fim! Até que se o trabalho fosse só juntar tudo e enfiar na bolsa, seria fácil. A questão é que entre uma coisa e outra eu sempre tenho que procurar a carteira ou o celular ou a camisa ou qualquer outra coisa que simplesmente não me pertence e que definitivamente eu não tenho a menor obrigação em saber aonde está!!! ohhhh santo, santo, santo! Por que ele não perde a língua?! “Ok, ok, ok! Então enquanto eu procuro o seu pinto, você amassa a bananinha e prepara um suco pra gente!” É a deixa para eu me trancar no banheiro e escovar os dentes em paz! Doce ilusão... “mamãaae mamãaae abi pota abi pota” (eu já contei que meu filhote já fala absolutamente tudo?!!) E lá vai eu com a boca espumando sendo rebocada até a sala pra trocar o DVD do Patati e Patatá! Ai Jesus, cadê o controle remoto? “cadê cadê cadê” pergunta ele com as mãozinhas pro ar. E então ouço outro berro vindo da cozinha “...tarde demais ais ais!!!” ohhhhhhh, meu anjinho vamos ver Badou, mamãe não tem tempo de procurar o controle que você escondeu, vamos ver Badou (desenho animado do elefantinho: Babar e as Aventuras de Badou)... “cadê badu cadê badu, badu caiu”...ohhhh Badou só passa a tarde, esqueci completamente! “cadê badu cadê badu” Me faço de cega e surda e vou me trocar entre um berro e outro “...demais ais ais!!!” Depois corro pra varanda e vejo um céu absurdamente azul...ohhhh nenhuma nuvenzinha negra carregada de chuva pra me salvar...ohhhh cadê a #**# dessa sunga?! Fecho a porta do armário e encontro um: “cadê badu cadê badu cadê badu”...ohhh meu amorzinho chama o papai pra procurar! vai lá vai! Péssima idéia a minha, do quarto escuto o pai sentenciando: “Badou morreu meu filho, Badou morreu!” arghhhhhhh!!!!! Assim, atravessamos o deserto do Saara ouvindo “papai badu coeu, badu coeu, badu coeu mamãe”...e adivinha quem que terá que desfazer esse mal entendido?! Quem?! bbjs

vamos a la Playa ohhhh ohhhh ohhhh – parte 1

Não vou falar da maravilha que é ver meu tutuzinho brincando na areia da praia e da delícia que é ouvir seus gritinhos quando entra no mar, isso tudo vou guardar só pra mim fofa! Eu vou contar é do que vem antes, beeem antes, ainda em casa. Tudo começa com um lindo dia de sol, sem nenhuma nuvenzinha no céu, apenas uma suave brisa no ar e berros, muitos berros do meu digníssimo cônjuge para eu me apressar senão será tarde demais!!! Devo frisar que nesse momento ainda estou na cama, ainda zonza, ainda não acreditando no que está acontecendo “mas jáaaa é sábado? como assim?” Se você é uma mamãe sabe o quanto é fácil se perder entre os dias da semana! Minhas segundas, por exemplo, são tão intensas que é muito normal só terminarem na terça. Só a mãe de Freud explica. Mas voltando ao excelentíssimo, que ainda berra, causando ecos nas paredes do meu crânio: ...será tarde demais ais ais ais!!! ...oh senhor, que horas são? ...não vou olhar, não vou olhar, olhei: 6h58 ...oh senhor então quanto tempo eu dormi? ...não vou calcular, não vou calcular, calculei: apenas quatro horas ...oh senhor é muito pouco para um ser humano que pinta as unhas! ...oh fofa, você sabe o que é acordar com alguém em pé ao seu lado, suuuper animado, excitado, transbordando disposição e cheio de energia nas cordas vocais(?), quando tudo que você deseja são ao menos mais cinco míseros segundos de silêncio?! Dorme aqui que eu te mostro fofinha. É praticamente o Apocalipse! Tem sábados que eu acordo com as unhas grudadas no teto feito gato! O fim dos tempos? Nada. O ínicio de um sábado ensolarado! ...oh senhor sou uma mãe boa, não desejo estragar o final de semana de ninguém mas um pouco de chuva agora me faria tão bem... oh estou pedindo muito?... oh senhor então um tijolo... talvez com uma tijolada eu consiga dar um fim a esses berros... oh mas o tijolo peeesa, não terei forças, melhor eu levantar. E assim, como um zumbi, vou para o banheiro? Nãaaao! Vou para copa? Nãaaao! Eu vou para sala dançar com o Patati e o Patata! E aí de mim se não for! Se você é uma mamãe sabe o quanto é difícil recusar um pedido do seu fofo, principalmente se ele ainda estiver com aquela carinha amassadinha de sono, aquela carinha gotosa e fofa de quem dormiu tudo o que precisava e que por isso está cheio de energia pra gastar...com você. Então o cenário é este: meu marido e meu filhote pulando na sala feito loucos e eu ainda de camisola, descabelada e incrédula com a cena. Mas se você não pode vencer os inimigos, resta juntar-se a eles. “borá mamãe, borá mamãe” e lá vamos nós de mãozinhas dadas pro centro da pista (já lo-ta-da de brinquedinhos espalhados pelo chão). O dia mal começou e ainda há um longo caminho percorrer até chegarmos a praia, mas por ora, vamos cantar ...vem sorrir com Patati, vem brincar com Patata, entre nessa festa, vem se divertir, é bom a gente ter... disposição fofa, muita disposição. bbjs

mamãe sabe tudo

Não importa o quanto seu HD está cheio, se você é uma mamãe como eu, sabe que por mais que o seu cérebro grite “chega, chega, não cabe mais nada aqui, vou explodir!” mais uma informação é empurrada cachola a dentro! E não sei quanto a você fofa, mas uma das minhas funções de supermamãe é ter que saber e lembrar de absolutamente tudo! Telefones de pediatras, horários, nomes, datas de vacinas e afins são apenas alguns itens de uma lista que não enxergo o final! E quem me dera, se o meu universo de informações armazenadas abrangesse “apenas” o mundo do meu tutuzinho! Quando digo tudo, é tudo mesmo! Ontem, por exemplo, meu excelentíssimo cônjuge me perguntou em qual dia a lâmpada da cozinha havia sido comprada (pasmem! sou obrigada a abrir parênteses e informar que são seis, trocadas em épocas diferentes e nenhuma trocada ou comprada por mim!) porque a dita cuja “já” estava falhando e isso era algo inadmissível! É lógico que respondi! E é lógico que chutei um dia qualquer, porque eu não saber essa resposta seria mais absurdo que a lâmpada “já” estar piscando. Pior é o que vem depois: “Tem certeza? Como você sabe? Essa eu comprei no Luizinho ou no Zezinho? Tem certeza? Como você sabe?...” ai Jesus, penso: o teto bem que poderia desabar agora sobre minha cabeça, desmaiada não precisaria responder mais nada! E não sei quanto a você fofa, mas uma das minhas funções de superesposa é ser sabatinada ao menos umas cinco vezes por dia. Isso é regra! Mas, sinceramente, acho que certas perguntas do tipo “Aonde esta minha carteira?” ou “Cadê a minha chave?” deveriam fazer crescer pelos nas palmas das mãos! O pior é que na falta de uma reposta minha surgem perguntas ainda piores, do tipo: “cadê a SUA chave então?” (pra quem não entendeu: a SUA é a minha chave! aaargh) Que nasçam pentelhos ao invés de pelos então!

Sabatina clássica das 18h pelo telefone:

Tenho que passar na padaria?

Não. (respondo)

Tem pão?

Tem. (ué? não é obvio??)

Tem o que eu gosto?

Teeeem. (1,2,3,...)

Quantas fatias tem?

O pacote está cheio!

Tem presunto?

Teeeeeeem. (...7,8,9...)

Quantas fatias tem?

10!!!!!!!!!!!! (pataqueparau!)

Verbete: “quantos tem?” também se aplica para frutas, legumes, hortaliças,... tipo assim, eu saber que tem não é mais o suficiente, agora também tenho que saber a quantidade! bbjs com 2Bs

tempo tempo tempo

1 aninho. 1 aninho e 7 meses. Essa é a idade atual do meu amorzinho. Tenho a leve impressão que foi ontem que escrevi meu último post sobre ele, mas na verdade foram 7 meses sem escrever nenhuma linha... Descaso? Preguiça? Nada disso fofa, foi pura falta de tempo. Se você é uma das que não tem um filho ainda e acha que não tem tempo pra nada, aguarde o toc toc da cegonha em sua porta e aí sim verá o que é realmente não ter tempo. Você acorda com as galinhas e vai dormir com as corujas, isso se o seu filhote não estiver dodói senão nem dormir você não vai mais! Nesses 7 meses perdi a conta de quantas noites fiquei acordada ao lado do meu tutuzinho...e não adianta chamar o pai, porque o pai dorme. O pai sempre consegue dormir!!! Mas como?!!! Não sei fofa, tenho pra mim que esse é o maior mistério da humanidade! É claro que tem mães que conseguem administrar o tempo de forma excepcional, incrível, invejável, inacreditável! Eu acredito porque conheço algumas, mas eu, definitivamente, não pertenço a esse seleto grupo de mães. Para fazer parte dessa estatística das supermamães eu teria que preencher alguns pré-requisitos básicos como ter unhas pintadas e cabelo impecável de segunda a segunda. Mas minha realidade é outra, minha manicure se despede de mim como minha dentista “então a gente se vê novamente daqui a seis meses" (!) e minha dentista, bom, minha dentista deve achar que eu morri no parto. Exageiros a parte, o tempo de uma mãe é geralmente um paradoxo: por mais longo que possa parecer o dia, mais curto ele será. Profético, não?! Não? Que atire a primeira fralda, a mamãe que discordar de mim! bbjs